Parabéns

Parabéns
Participem com contos, sugestões e fotos para incluir no nosso blog. Podem enviar para o nosso contacto : pontoerotyco@gmail.com - vamos chegar às 400 000 visualizações

quarta-feira, 29 de agosto de 2012

MULHER + VINHO

Existe algo de muito sensual num corpo feminino e numa taça de vinho...e como dizem que uma taça de vinho aumenta a líbido, é a mistura perfeita, não acham?











quinta-feira, 23 de agosto de 2012

SONHO....


AUTOR- SÉRGIO SENNA



Abro a porta e a vejo, está reclinada no braço do sofá, com uma mão atrás da cabeça, totalmente nua… aquela deusa parece dormir. Os olhos fechados, a respiração leve e compassada. Meus obscenos olhos descem por aquele corpo de formas perfeitas, os seios médios, firmes, com mamilos morenos e bicos pontudos, que apontam pra o alto e se mostram a mim em toda a sua pujança e formosura, a cintura fina dá destaque aos quadris largos e arredondados, um pé está num braço do sofá enquanto o outro se encontra pousado no tapete, com isso suas coxas se encontram levemente abertas, deixando a mostra a vulva levemente mais escura que a cor morena da pele

 é uma vulva diferente das das outras mulheres, os lábios são de grossura média e textura acetinada e o corte entre eles está levemente aberto deixando entrever um pouco da entrada da vagina, devido a posição, em cima um grelo que se adivinha duro, desponta entre eles, como se querendo mostrar que é uma mulher pronta pra o sexo e desejosa de viver a plenitude da vida. Me aproximo e ajoelho entre suas coxas, mas sem tocá-las, observo bem de perto aquela mulher e meu pau pulsa tomado por um desejo quase insano, deixo meus olhos percorrerem mais uma vez seu corpo e me perco naquela contemplação, principalmente nos bicos dos seios que, como que adivinhando minha presença, se avolumaram e se esticam mais ainda pra o alto.
 Aproximo meu rosto daquela vulva e minha respiração bate nela, fazendo-a estremecer, é como se me aguardasse, estivesse a minha espera… e coroando aquela xoxota angelical está seus pentelhos, pretos, lisos, rebaixados com uniformidade, formando um triângulo que sombreia a parte superior, bem junto ao grelo, onde termina. Vejo que os lábios vaginas estão lisinhos, totalmente desimpedidos, e com minha respiração tão perto e os aquecendo, eles se arrepiam.


Sua entrada vaginal se abre um pouco mais e vejo que se molha, orvalha… qual flor outonal nas madrugadas... Talvez sonhe algo erótico ou talvez seja somente o calor da minha respiração que a faz desejar um contato maior, estou quase a encostar meus lábios naqueles outros lábios que sei, me esperam.
Mas algo me contém, olho aqueles lábios vaginais que tanto poder tem sobre mim, mais uma vez, bem de perto. Aquela cena é mágica e inusitada, tirada mesmo de um romance medieval, eu simplesmente quedo-me contemplativo e não me atrevo a quebrar aquele encanto. E, apesar de todo o desejo que ferve dentro de mim, levanto-me e dando-lhe as costas... Vou-me!!!!!!
 

segunda-feira, 20 de agosto de 2012

sábado, 18 de agosto de 2012

UMA SERVIÇAL PARA TODOS OS SERVIÇOS - 2



AUTOR - DINHO

No conto anterior narrei como dona Beth, ou melhor, dona Elizabeth, uma senhora de trinta anos, casada, mãe de duas meninas, morena, cabelos pretos, na altura dos ombros, uma bunda digna de punhetas homéricas, peitos pequenos e uma boca carnuda, me deliciou com sua maravilhosa boca, me deixando exausto, porém com um pouquinho de quero mais.No sábado, como sempre, não haveria expediente na empresa, porém, como ela trabalhava na limpeza, disse que precisaria fazer uma faxina geral, já que teria que terminar um serviço que tinha iniciado e não dava para fazê-lo durante o expediente normal. Disse isso me dando uma piscadinha e um sorrisinho safado.No sábado pela manha, acordei, tomei um banho e segui com destino a empresa, não sem antes passar em uma farmácia e comprar alguns preservativos, já imaginando o que poderia acontecer. Aproveitei também e comprei um lubrificante, já com segundas e terceira intenções, com a bunda de dona Beth.Cheguei ao escritório e entrei, dona Beth estava na cozinha, fazendo um cafezinho, pois disse que sabia que eu gostava e que logo levaria a minha sala.Em alguns minutos ela chegou, e eu pude conferir seu corpo sem o uniforme da empresa. Estava com um vestidinho estampado, que ia até o meio de suas coxas que eram grossas (segundo ela devido à dança, que adorava). Quando me serviu, abaixou a minha frente e pude ver os seios, pequenos, deliciosos e com os biquinhos durinhos. Ela deu a volta na mesa e abriu parte das persianas, segunda ela, pra entrar um pouco de luz natural no ambiente. Girei na minha cadeira e pude apreciar bem sua bunda, grande e aparentemente durinha (o que vim a confirmar logo depois), porém o que me chamou a atenção foi o sinal da calcinha, na lateral do vestido e, pela altura da mesma, era uma fio dental e estava toda enterrada na sua bunda.Perguntei a ela se não tomaria o café comigo e ela disse que não...que preferia o leitinho dela...foi se achegando perto de mim… dona da situação, empurrou a cadeira próximo a parede, sentou-se no meu colo e encostou seus lábios nos meus...


...beijei aquela boca, enroscando a minha língua na dela... aproveitei e fui fazendo um reconhecimento detalhado daquele corpo...passando minhas mãos sobre o vestido e tocando cada pedacinho dele… sentido a sua respiração ficar mas rápida... quando cheguei em sua bunda apertei com força e ela soltou um gemido delicioso...Ergui seu corpo e o deitei sobre a minha mesa, jogando tudo o que estava sobre ela no chão... levantei seu vestido e vi uma calcinha mínima... vermelha, com detalhes em renda... mostrando uma pequena mancha no fundo, já denunciando a sua excitação. 

Puxei a calcinha de lado e lambi aquela xaninha lisinha, chupei gostoso, colocando dois dedos dentro dela e girando para os lados, senti a mulher ficar louca, gemer mais alto e gozar gostoso. Apaguei a luz da sala, deixando somente a claridade externa que vinha da rua, tirei seu vestido e a coloquei de joelhos abaixando a seguir minha calça e minha cueca junto... bati com meu pau, já super duro, na sua cara... ela abriu a boca e eu coloquei ele dentro... que boca deliciosa...



 ela chupava ele todo, babava, lambia... mas eu ainda não queria gozar... sentei na minha cadeira... coloquei a camisinha e ela veio… puxei sua calcinha de lado... pincelei na entrada de sua xana e fui colocando bem devagarzinho... ela estava de costas pra mim e quando meu pau entrou todo, ela parou e começou a rebolar... como mexia gostoso aquela mulher... Rebolada gostosa com meu pau todo atolado na sua xaninha... apertei seus peitos pequenos e mexi nos seus bicos...ela começou a aumentar o ritmo da rebolada… toquei seu clitóris com a minha mão e a mulher enlouqueceu, começou a gemer e a pedir rola... E começou a cavalgar gostoso no meu pau... Subindo e descendo... eu sabia que não aguentaria muito tempo... e ela percebendo isso, levantou-se, e voltou a sentar nele...só  que desta vez de frente...


 vi que ela estava pra gozar... segurei mais um pouco e ela gozou melando minhas bolas... segurei sua cintura e meti forte... durante mais alguns poucos minutos, porem o suficiente para que gozássemos juntos... ela deixou seu corpo cair no meu... e com a nossa respiração voltando ao normal disse que queria mais. Demos um tempo, conversamos sobre banalidades, onde ela disse que o marido já não lhe dava mais tanta atenção depois do nascimento dos filhos e que ela estava muito carente, pois adorava sexo. Foi falando e sempre acariciando o meu pau, que aos poucos voltou a dar sinais de vida... ela vendo aquilo não pensou duas vezes… desceu sua boca e voltou a chupar meu pau...

 agora com calma... lambendo a cabecinha... passando a língua, ora colocando a cabeça na boca, hora engolindo ele e apertando meu saco... quando ele já estava duro novamente, lhe passei um preservativo que ela colocou nele... ficou de quatro no meio da sala, com o rosto virado para as vidraças e com cara mais safada do mundo disse: “Vem, mata minha vontade, me fode gostoso... mete seu pau em mim e apaga meu fogo... você não queria transar aqui pertinho da janela… então vem....”. Fui por traz dela e coloquei meu pau... ela deu uma reboladinha e ele deslizou pra dentro... já estava com tesão, a safada… meti na sua bucetinha bom cadenciado, curtindo o momento... e percebi que quando fazia bem devagarzinho, ela ficava mais louca... 


comecei a bombar gostoso e ela gozou... continuei fudendo aquela bocetinha e a mulher foi ficando louca, girou a cabeça e pediu pra eu meter tudo, pra chamar ela de puta, de vadia, pra bater na bunda dela… aproveitei aquele momento de tesão... passei os dedos perto de sua xaninha... recolhi um pouco do seu caldinho e pressionei a entrada de seu cuzinho... ela parou...olhou novamente pra mim e rebolou gostoso... fui metendo meu dedo e tirando... sua pele ficou arrepiada.... Alcancei o lubrificante que estava no chão... espalhei um pouco no seu cuzinho e forcei dois dedos...ela gemeu mais alto... e perdeu as estribeira de vez... pediu pra eu comer seu cu... pra eu arrombar seu cu... tirei meu pau de sua xana e coloquei na portinha de seu cu... forcei um pouco e ela deu uma rebolada... 

tirei… coloquei mais lubrificante e voltei a forçar de novo... senti a cabeça deslizando pra dentro... parei um pouco, pra ela se acostumar, porém nem deu tempo pra isso... ela veio com aquela bunda deliciosa pra traz e engoliu meu pau... nossa que cú delicioso... tive que respirar, para não gozar logo de cara... esperei um pouco, com ela rebolando no meu pau e iniciei um entra e sai lento, cadenciado... a coisa foi esquentando e a Beth já gritava de tesão... pedia pra eu meter forte que ela queria gozar pelo cú... meti forte... 


segurando suas ancas e ela gozou. Tirei meu pau, a levei novamente pra cima da mesa e a deitei de barriga pra cima... pus suas pernas em volta de meu corpo e meti de novo no seu cuzinho… agora com um pouco de liberdade pra mexer em sua xaninha com meus dedos... metia forte... sentia meu pau doer de tanto tesão...ele começou a pulsar, avisei que iria gozar... que não aguentava mais... gozei muito...Ficamos no escritório até perto do meio dia, quando fomos embora... mas antes de sairmos, a Beth, gulosa como ela, ainda chupou meu pau deixando ele sem uma gota de leite naquele dia... como disse antes, tivemos muitas aventuras ainda e até hoje continuamos tendo.

quinta-feira, 16 de agosto de 2012

UMA SERVIÇAL PARA TODOS OS SERVIÇOS - 1


AUTOR-DINHO


Eu trabalho aqui em São Paulo, sou gerente financeiro de uma grande empresa no ramo de cosméticos, tenho uma vida muito atarefada, reuniões demoradas, com muitos compromissos diários, normalmente não tem um dia, que eu consiga uma folga pra ficar de bobeira.Aquela quarta-feira parecia ser diferente, peguei um café, me recostei na janela e fiquei pensando no amanhã, enquanto saboreava aquele cafezinho, de repente me entra na sala, dona Beth, ou melhor, dona Elizabeth, uma senhora de trinta anos, casada, mãe de duas meninas, morena, cabelos pretos na altura dos ombros, uma bunda digna de punhetas homéricas, peitos pequenos e uma boca carnuda… uma pele um pouco castigada pelo tempo e um corpo encoberto pelo uniforme da empresa de limpeza, puxando um aspirador de pó, duas flanelas e um spray na mão, parecia ser produto de limpeza, me cumprimentou e eu lhe respondi.Fui saindo pro outro lado da sala, quando me avisou que estaria cobrindo as férias da dona Vera, a senhora da limpeza, lhe desejei boas vindas e me retirei.No segundo dia de trabalho, eu estava encostado na janela e com o pensamento longe, quando de repente, ela veio em minha direção, e disse algo que eu não percebi, ela chegou perto, me olhou nos olhos e disse que pela minha cara eu só podia estar pensando em sacanagem.Realmente eu não estava, mas dei uma risada e disse a ela que estava pensado em transar ali, encostado naquela janela com o pessoal lá embaixo andando, não sei da onde saíram àquelas palavras, mas que saíram da minha boca, com certeza sairam.A mulher pirou e olhou pra mim com uma cara de puta, os bicos dos peitos quase furando o uniforme e ela ainda me disse que se fosse mais cedo, antes do pessoal chegar ao trabalho, até teria coragem de fazer isso.No dia seguinte, cheguei uma hora mais cedo no trabalho e quando ela me viu sorriu… veio em minha direção e me disse que tinha quarenta minutos pra me fazer gozar, trancou a porta, me puxou para perto da janela, abriu as persianas, ajoelhou nos meus pés, abriu minha calça, abaixou minha cueca,foi cheirando e lambendo o meu pau, que já estava meio duro, punhentando-o com uma mão e engolindo aos poucos, cada pedaço dele.

 
Nossa que chupeta, que delicia, como a mulher chupava gostoso, lambia, babava, apertava minhas bolas, apertava minha bunda, engolia e depois chupava só a cabecinha.Claro que não consegui me segurar muito e avisei que iria gozar, ela tirou ele da boca, apertou bem, com as mãos, olhou bem nos meus olhos e disse


-Goza que eu quero seu leitinho gostoso na minha boca.Voltou a chupar, agora mais forte e mais fundo, gozei uma enxurrada naquela boca faminta, ela engoliu o que pode e o resto aparou com as mãos e depois lambeu tudo, quase cai, as pernas ficaram bambas e quando pensei que tinha acabado ela simplesmente me falou que ainda tínhamos tempo para que eu gozasse novamente.Abriu a blusa me mostrando os peitos pequenos, mas bem-feitos, com bicos escuros e pontudos e continuou manipulando meu pau com a mão, puxei ela pra junto de mim, mas ela disse que não, que aquele dia seria somente assim, que ela queria mais porra, pois adorava isso.Abaixou-se novamente, meteu o pau na boca e voltou a chupar agora mais gostoso que da primeira vez, chupava tanto que o pau fazia barulho na sua boca, entrando e saindo

 comecei a fuder sua boca, pegando ela pelos cabelos e enfiando o máximo que podia, até não aguentar mais e gozar novamente.Aí não teve jeito, tive que sentar na beira da mesa, senão caía ali mesmo, ela engoliu tudo, chupou ate deixá-lo limpinho e disse que iria querer todos os dias, enquanto estivesse no trabalho, saiu e foi cuidar de seus serviços.Ela ficou connosco mais vinte e sete dias, só não tivemos nada aos domingos, porque até nos sábados eu inventava algo pra ir ao escritório, só pra termos momentos de prazer.E olha que além de uma boca gulosa ela possui um rabo maravilhoso, que provei posteriomente e postarei nos próximos contos.Uma vez ou outra ainda arrumo um jeito de encontrá-la, pois um cusinho como aquele, não se encontra com facilidade não.

segunda-feira, 13 de agosto de 2012

CUEQUINHAS FEMININAS

As cuecas femininas surgiram no ano 1800, na Europa, sendo hoje um dos objectos mais populares do mundo. O primeiro modelo era uma espécie de calção, que chegava quase ao joelho. A foto seguinte dá para ver a evolução ao longo dos tempos...


A mesma modelo, com uma cueca, do século 19 e com outro modelo bem actual, marcando a diferença:



A opinião masculina, é muito importante.
A repórter foi para a rua recolher opiniões....




Antigamente os traseiros andavam dentro das cuecas


hoje em dia , as cuecas andam dentro do traseiro



Modelo actuais e bem sensuais:















FALA A VERDADE, AS CUECAS DE HOJE, SÃO BEM MAIS INTERESSANTES....






sábado, 11 de agosto de 2012

ENCONTRO DELICIOSO


 Mais um texto delicioso cedido pela Deissinha:

Oi, Deissinha…

Hoje lembrei do nosso encontro no seu apartamento.
Quando cheguei, lá estava você, só com uma camiseta branca e curta, suas coxas
desnudas, seus seios marcados na malha, recem saída do banho, cabelos ainda pouco molhados.
Segurei sua cintura, puxei seu corpo para junto do meu e beijei teus lábios ávidos pelos meus. 


Nossas línguas se tocavam, nossos corpos apertados.
Sentia suas coxas junto a mim, minha piça muito dura latejava entre suas coxas.
Tirei minha roupa, nos despimos, juntamos nossos lábios novamente, agora nús, minha piça acomodada entre suas coxas, sentia você apertando entre as coxas meu caralho duro, quente, latejando, roçando na sua buceta.
Deisinha ajoelhou, minha piça ficou frente a seus lábios. Senti sua língua lambendo meu caralho, sentia seus beijos na ponta da piça, em seguida sugando toda piça, chupando
maravilhosamente, sentia engolir toda e tirar lentamente, chupando apertadinho, sua boca molhada, quente, chupando mais rápido, arrancando gemidos.
Seguimos para o quarto, Deisinha deitou abrindo as coxas, sua buceta clamando por ser penetrada. Deitei em cima, Deisinha segurou meu caralho, passou na buceta molhadinha, louca para receber aquele caralho enorme e duro.

 Acomodou na entrada da buceta, mexeu os quadris, ajeitou permitindo que a cabeça do caralho penetrasse, soltou um gemido, suspirou, ajeitou, a buceta apertada, que sentia ser penetrada lentamente. Meu caralho muito duro, grande, penetrava todo na sua buceta quente, molhada, sedenta por minha piça.
Deisinha suspirava, soltava gemidos surdos, toda penetrada.
Mexia os quadris com toda piça enfiada, comecei tirar e enfiar lentamente, tirava vagarosamente e penetrava com vigor, tirando e enfiando mais rápido, Deisinha acompanhava mexendo os quadris, enfiava, tirava, mexendo, nos abraçamos apertados, o caralho todo enfiado, gozamos loucamente.
Muito gostoso lembrar um orgasmo alucinante que sentimos.
 Beijos na buceta mais adorada.

sexta-feira, 10 de agosto de 2012

RATINHAS PELUDAS - IMAGENS

Algumas fotos de ratinhas peludas, para os apreciadores na espécie:











quinta-feira, 9 de agosto de 2012

BEM OLEADAS - VÍDEOS

Quando tiver um pouco de dificuldade, nada como dar uma boa oleada...






quarta-feira, 8 de agosto de 2012

FOTOS DOS LEITORES - ESPANHOL

Agradecendo ao meu amigo Espanhol, um brasileirinho que me cedeu estas imagens deliciosas